DATA DE PUBLICAÇÃO: 06/08/2020
- Diminuir + Aumentar

A atuação dos leigos na Área Missionária do Perpétuo Socorro, em Marituba

 

Fotos: Luiz Estumano.
 
Os leigos atuam como colaboradores dos padres na catequese, na liturgia, nos ministérios de música, nas obras de caridade e nas diversas pastorais existentes. Ser leigo atuante é ter consciência do chamado de Deus a participar ativamente da Igreja e do Reino contribuindo para a caminhada e o crescimento das comunidades.
 
Na Área Missionária Nossa Senhora do Perpétuo Socorro os leigos, com acompanhamento de Dom Antônio de Assis Ribeiro, Bispo Auxiliar, engajam-se completamente para o crescimento da área e a construção de capelas. O Catecismo da Igreja Católica (CIC) diz que “todo leigo, em virtude dos dons que lhe foram conferidos, é, ao mesmo tempo, testemunha e instrumento vivo da própria missão da Igreja pela medida do dom de Cristo” (Ef 4,7) [CIC§913].
“A área específica do leigo é o apostolado no mundo secular, inserido nas realidades temporais, na escola, na indústria, na economia, política, artes, música, etc, participando, como cristão, das atividades do seu estado de vida e trabalho social”, destaca a Christi Fideles Laici (“manual” da atuação do leigo no mundo), exortação apostólica pós-sinodal do papa João Paulo II, assinada em Roma em 30 de dezembro de 1988. 
 
A Igreja católica é rica pela sua diversidade de sujeitos, vocações, carismas e instituições. Todavia, há um só Espírito que estimula a convergência para mesma comunhão. “Os leigos participam ativamente desse movimento de comunhão e serviços, eles são sujeitos eclesiais. É graças à consciência vocacional e disponibilidade ao serviço por parte dos leigos nas comunidades, que temos pastorais, grupos, movimentos, serviços e iniciativas várias”, afirma Dom Antônio.
 
Ele completa: “o padre sozinho não forma a comunidade e nem a paróquia. A participação dos fiéis leigos nas nossas comunidades é maravilhosa e cada vez mais estimulada; é dever dos ministros ordenados sempre capacitar os leigos para que possam servir com mais competência, fidelidade e testemunhar a própria fé com alegria superando desafios cotidianos”.
 
Dom Antônio, Bispo Auxiliar
 
Presença pastoral
 
O engajamento pastoral dos leigos na área missionária é fruto do estímulo contínuo, da parceria com paróquias apadrinhando as comunidades e por fim, da presença pastoral da Igreja. Tudo isso tem frutificado na evangelização na área. “A contribuição dos leigos é de fundamental importância porque no concreto do dia a dia, são eles que devem assumir uma grande diversidade de responsabilidades para promoção da fé”, destaca Dom Antônio.
 
Segundo o bispo, tais responsabilidades são, por exemplo: a promoção da catequese, o serviço de liderança, a organização de grupos e movimentos, a assunção de responsabilidades e serviços, a promoção da liturgia, o processo de visita às famílias e a evangelização do povo, a promoção das devoções, a participação na campanha em vista da construção de capelas ou outras estruturas físicas, a aquisição de terrenos, o envolvimento em mutirões para execução de serviços físicos, etc.
 
Para França Barroso, coordenador geral da Área Missionária, esse engajamento tem sido uma experiência incrível para a construção de uma igreja viva: “Sinto uma necessidade grande de fazer mais pelas construções, não só do templo mas construir mais a Igreja viva, verdadeira. Tivemos uma experiência na comunidade Santo Antônio com as visitas nas residências e várias pessoas vieram até a comunidade.” 
 
Segundo ele, o empenho não deve parar em prol do projeto de evangelização. “Nós devemos nos empenhar mais e mais nas pastorais. Ter essa ligação direta com o povo, escutar, sair mais do nosso mundo e ver o que essas pessoas estão passando. Deus tem nos abençoado pelo empenho de cada um. Vemos o resultado nesse desenvolvimento muito grande que tivemos em dois anos”. 
 
Por fim, ele completa: “Como Jesus veio para construir em seu nome, eu preciso, necessito de ser o construtor, não ser o Mestre, mas ser esse pedreiro para construir a Igreja viva".
 
Serviço
 
Quem deseja contribuir espiritualmente, financeiramente ou, ainda, com mão de obra, pode procurar a Cúria Metropolitana, de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 14h às 17h30 e nos telefones: 3125-7001 // 3215-7002.
 
CONTA BANCÁRIA
Banco Itaú
Agência: 2939
Conta Corrente: 54966-9
Titular: OBRAS SOCIAIS DA ARQUIDIOCESE DE BELÉM
Av. Gov. José Malcher, 915
CEP: 66055-260 - Nazaré - Belém - Pa
CNPJ: 01.563.864.0001/84
 



2010 fundacaonazare.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade