DATA DE PUBLICAÇÃO: 09/07/2020
- Diminuir + Aumentar

Arquidiocese acolhe novo diácono transitório

Foto: Luiz Estumano. 
 
Com oração consecratória e a imposição das mãos de Dom Alberto Taveira Corrêa, Arcebispo Metropolitano, José Gabriel Cardoso Marruaz, 25, foi ordenado diácono transitório durante cerimônia no último sábado, 4, na Matriz da Paróquia de Santa Maria Goretti, bairro do Guamá. Com a presença de Dom Antônio de Assis Ribeiro, Bispo Auxiliar de Belém, que concelebrou, sacerdotes, familiares e amigos seminaristas o neo-diácono foi acolhido pela comunidade.
 
Por conta das restrições sanitárias ainda vigentes em virtude da pandemia de covid-19 a celebração de ordenação constou apenas de 15% da capacidade do templo. Os presentes estavam acomodados nos bancos com distância de 1,5 m entre si e na chegada tiveram as mãos higienizadas com álcool e a temperatura mensurada.
 
A ordenação de José Gabriel, a primeira das quatro previstas este ano, em meio a pandemia, representa a continuidade do trabalho da Igreja em manter as vocações, suscitá-las e cuidar delas. Para Dom Alberto isto caracteriza o avivamento que a Igreja vive:
 
“O que aconteceu durante um tempo foi que as nossas portas ficaram fechadas, não por nosso desejo, mas por circunstâncias da legislação sanitária. E agora nós já começamos as celebrações presenciais com alguns limites ainda e não poderíamos deixar de fazer essas ordenações. Eu tenho observado muito que a Igreja está viva.”
Outros três seminaristas irão ser ordenados diáconos transitórios entre os meses de julho e agosto, destaca Dom Alberto. “Serão os quatro que serão sacerdotes no fim do ano. Nós tínhamos marcado para agosto a ordenação dos diáconos permanentes que foi transferida para o dia 26 de dezembro que é um grupo muito grande, ao todo 30. Então, com isso, nós temos esse segundo semestre cheio, com o Sacramento da Ordem, e isso para nós é muito importante.
 
O neo-diácono 
 
Essa promoção das vocações é motivo de graça, enfatiza o arcebispo. “Queremos agradecer a Deus por isso e esses jovens que são ordenados vão se colocar a disposição de Deus e da Igreja. Que Nosso Senhor ajude-os a caminhar.”
 
Natural de Vigia de Nazaré, nordeste paraense, José Gabriel Marruaz entrou em 2013 para o Seminário Maior São Pio X onde cumpriu todas as etapas de formação. Para a mãe, Cidélia Marruaz, desde pequeno José já demonstrava qual caminho queria seguir. “Desde os quatro anos ele brincava de ser padre. Pegava as imagens de santos da avó dele e todas as brincadeiras eram sempre nesse sentido. Colocamos ele para servir no altar como coroinha, depois veio a Primeira Eucaristia, Crisma e hoje está aí”.
 
O neo-diácono desenvolveu seu estágio pastoral, etapa importante no processo de formação, nas paróquias de São Vicente de Paulo, no Paar, Nossa Senhora da Imaculada Conceição, no Carananduba, em Mosqueiro, e Santa Maria Goretti, no Guamá. Atualmente está desenvolvendo trabalhos na Paróquia de São Francisco das Ilhas, em Cotijuba.
 
A ordenação, além de motivo de alegria, é para o ordenado, momento de sacrifício. “Queríamos que todas as pessoas que participaram da minha caminhada, da minha história estivessem aqui, mas não é possível, pois vivemos tempos confusos, mas, sobretudo, uno-me aos meus irmãos que também disseram sim a Deus”.
 
Diácono Marruaz expressou que seu ministério, a exemplo de santos como Santa Teresinha, é baseado no amor. “Quero que com meu testemunho, com a minha vocação, as pessoas conheçam a Deus e se sintam amadas por Ele e pela Igreja. Quero, ao mesmo tempo, fazer ‘a Igreja’ e valorizar ‘o amor’. Santa Teresinha dizia ‘minha vocação é o amor’ e a minha vocação será também o amor.”
 
Cerimônia 
 
Os diáconos transitórios são aqueles que recebem o primeiro grau da Ordem em função de receberem o segundo: o presbiterado. Neste caso, apenas os homens solteiros e dispostos a viverem o celibato podem ser aceitos. Possuem a mesma dignidade e funções dos diáconos permanentes, mas se preparam para exercer uma futura função sacerdotal.
 
Após a procissão de entrada e as boas vindas de Dom Alberto, o rito seguiu normalmente com leitura do Evangelho. Em seguida, Padre João Paulo Celestino, reitor do Seminário Maior São Pio X, apresentou o candidato ao diaconato transitório e deu seu testemunho a favor.
 
Em seguida o arcebispo proferiu palavras de acolhida fraterna e deu início à homilia, onde fez a pergunta “quem é este jovem?” no que respondeu: “quem veio aqui para ser ordenado veio do seio de uma família, é alguém com qualidades, com vontade de servir". Dom Alberto fez considerações sobre o diaconato onde afirmou que o diácono é o ministro da caridade, é o serviço da Palavra, do altar.
 
Ao fim da homilia, deu-se início ao rito de ordenação diaconal, que começou com Dom Alberto interrogando José Gabriel, seguido pela prostração do candidato enquanto entoava-se a ladainha de todos os santos; oração consecratória de ordenação, realizada com a imposição de mãos do arcebispo; entrega das vestes diaconais, realizada pelos membros da família; entrega do livro do Evangelho. A acolhida no presbitério, com o ósculo da paz, por conta das recomendações, apenas Dom Alberto, Dom Antônio e dois membros da família puderam fazer, em acolhida ao novo diácono.
 
A ordenação sacerdotal  de Gabriel bem como a de seus colegas que serão ordenados, está marcada para 8 de dezembro, Dia de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, na Sé Metropolitana.
 



2010 fundacaonazare.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade