DATA DE PUBLICAÇÃO: 18/03/2019
- Diminuir + Aumentar

Arquidiocese de Belém realizou Jornada Vocacional

Fotos: Luiz Estumano.
 
Jovens de várias paróquias, comunidades e movimentos da Arquidiocese de Belém participaram da Jornada Vocacional 2019, que ocorreu no último domingo, 17, na Faculdade Católica de Belém, localizada na BR -316, km 6, em Ananindeua. 
 
A jornada é organizada com o objetivo de auxiliar a juventude no caminho vocacional. Dom Alberto Taveira Corrêa, Arcebispo Metropolitano de Belém, explica que o evento, que já é realizado há cerca de oito anos, busca oferecer a juventude caminhos para a escolha da vocação a luz do Evangelho. “E a gente vê a quantidade imensa de rapazes e moças, que passam um domingo conosco, querem crescer, querem aprender, querem viver melhor a sua vida como jovens, como cristãos e descobrir seu lugar na igreja”, destacou o Arcebispo de Belém.
 
Este ano, a jornada refletiu o tema “Igreja: geradora e educadora de vocações” e Dom Antônio de Assis Ribeiro, um dos bispos auxiliares de Belém e que atua diretamente com os jovens, explica que a descoberta da vocação é um processo que deve ser alimentado por meio de eventos como a jornada.
 
Juventude da Arquidiocese de Belém lotou o auditório.
 
O Bispo Auxiliar ainda ressaltou o papel e a função da Igreja nesse caminho vocacional. “Ela gera, ela acompanha, a Igreja educa para servir, servir a humanidade, para servir a si mesma, para servir o reino de Deus. Então esses momentos são de manutenção dessa consciência vocacional. Nós queremos crescer cada vez mais de modo que tenhamos uma cultura vocacional”.
 
A estudante Nádia Saraiva era uma das várias jovens em busca de respostas para a sua vocação. “Eu tava muito insegura e inquieta com isso e eu acho que o chamado veio antes do chamado aqui, de saber qual era a minha vocação. Então eu queria ter esse chamado assim pessoalmente e esse encontro com Cristo eu acho que ajudou muito”, explicou a estudante.
 
Ela participou da jornada junto com outros jovens do grupo que faz parte e não escondia a alegria em encontrar várias pessoas com o mesmo objetivo. “Eu me sinto muito feliz também de estar aqui, estar com o meu grupo e de ver tantos jovens também à procura da sua vocação. A primeira vocação é ser cristão e eu acho que nós, jovens, precisamos ter essa certeza, essa confirmação da nossa vocação”, contou Nádia.
 
A irmã Dalvana Johansson já passou pelo discernimento vocacional e detalha a importância da Igreja no processo de escolha. : “Minha família sempre foi berço religioso e católico, então ali sempre fui encutida a participar da comunidade e como liderança. Então atuava como catequese e grupo de liturgia”.
 
Jovens de várias paróquias e comunidades participaram da Jornada Vocacional 2019.
 
Ela recebeu o chamado a vida consagrada aos 17 anos, por intermédio de sua irmã, que então trabalha diretamente com as freiras da Congregação Irmãs servas da Anunciação, como explicou: “Uma irmã me chamou, então a partir daí, em 2003, eu comecei a conhecer através dos encontros vocacionais. E aí no ano seguinte (2004), eu já entrei pra congregação e ali só aperfeiçoando a caminhada e Deus foi me dando a graça”.
 
Para irmã Dalvana, a vocação deve ser cultivada com muita oração. “É uma superação diária. Ela não é algo que você faz uma vez e ela já te dá garantia. Nossa missão é oração e trabalho, a gente tem que consumar esses dois elementos no nosso dia a dia.
 

Outras notícias
2010 fundacaonazare.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade