DATA DE PUBLICAÇÃO: 17/09/2019
- Diminuir + Aumentar

Fiéis acolhem a Relíquia de São José de Anchieta

Fotos: Pascom São José de Anchieta.
 
Os devotos da Paróquia São José de Anchieta, localizada no Conjunto Maguari, receberam com festa a Relíquia de primeiro grau do padroeiro com procissão luminosa e Santa Missa presidida por Dom Irineu Roman, um dos bispos auxiliares de Belém.

A relíquia é de primeiro grau e consiste em fragmentos de ossos de São José de Anchieta e foi doada para a Paróquia da Arquidiocese de Belém pelo Santuário Nacional de São José de Anchieta, no Espírito Santo.

O padre Valdinei Silva, pároco da Paróquia São José de Anchieta, explica que o processo para aquisição da relíquia ocorreu a partir de uma conversa com o sacerdote Bruno, do Santuário Nacional.

“Se deu por meio de uma conversa com o padre Bruno, que era sacerdote do Santuário Nacional, e ele nos propôs que fizéssemos o pedido de uma relíquia de primeiro grau para nossa paróquia. E houve então uma conversa com a secretaria do Santuário, eles nos mandaram um formulário, somente o bispo pode pedir uma relíquia de primeiro grau, então nós entramos em contato com Dom Alberto, ele foi muito receptivo com a proposta, fez o pedido e o pedido foi aceito e hoje nós estamos recebendo a relíquia em nossa paróquia”, conta o pároco.

Até a próxima sexta-feira, 20, a Paróquia promove uma programação especial de acolhida da relíquia com novenas, missas e visitas as comunidades.

Na terça-feira, 17, às 18h, haverá novena em honra a São José de Anchieta e às 18h30 terá procissão com a relíquia para o Setor de Missão São José (Morada Nova) seguida de Santa Missa e bênção com o Santíssimo Sacramento. A relíquia permanecerá na comunidade durante o dia 18 para veneração dos fiéis até às 17h.

O novenário do padroeiro segue no dia 18 na Igreja Matriz. E a partir de 18h30 será realizada a procissão com a relíquia para a comunidade Mãe da Divina Providência, situada na Alameda 33. Em seguida ocorrerá Santa Missa e bênção com o Santíssimo Sacramento. A Relíquia ficará na capela da comunidade durante o dia 19/09 para a veneração dos fiéis até 17h00.

No dia 19 a programação segue com novena na Matriz. E a procissão será com destino a comunidade Menino Deus, na Alameda 26, com celebração eucarística e bênção com o Santíssimo Sacramento. A Relíquia ficará na capela da comunidade ao longo do dia 20/09 para a veneração dos fiéis.

O encerramento, no dia 20, contará com novena de São José de Anchieta na Comunidade Menino Deus. Às 19h terá a saída da procissão com a relíquia do padroeiro e a imagem jubilar de Nossa Senhora Aparecida para a Igreja Matriz.

Para o pároco Valdinei, o momento é de oração e intercessão de São José de Anchieta para a comunidade: “peçamos que juntamente com a relíquia de São José de Anchieta também nós teremos a intercessão dele no meio de nós. E nós vamos aproveitar essa semana toda para fazer uma visita da relíquia a todas as comunidades da nossa paróquia com novenas, procissões, santa missa. Então todos os dias, a partir de hoje até sexta-feira, nós estaremos visitando as nossas comunidades com a relíquia de São José de Anchieta”, conclui padre Valdinei.

A relíquia de São José de Anchieta chegou a Paróquia na noite da última segunda-feira, 16, conduzida pelo padre Nilson Maróstica, reitor do Santuário Nacional do Espírito Santo, que destaca o significado da presença da relíquia para a comunidade. “A importância nas paróquias, onde tem a devoção ou ele é patrono da paróquia, São José de Anchieta, importante que tenha a presença física dele, porque é um santo pouco conhecido no Brasil, mas de uma grandeza e uma santidade, uma enormidade de virtudes que você não imagina”, finaliza o reitor.

“Ele veio para o Brasil quando ainda não era padre. É um padre jesuíta se tornou padre aqui no Brasil, um padre muito inteligente e muito sábio, porque ele desde o início assumiu a cultura. Ee enculturou com a cultura brasileira, com os povos indígenas procurando escutar, dialogar, estar junto, tanto que ele escreveu um dicionário, uma gramática tupi guarani”, reflete Dom Irineu acerca da trajetória de vida do padroeiro e suas virtudes.
 
Dom Irineu Roman presidiu Santa Missa de Acolhida da Relíquia
 
Paróquia São José de Anchieta

A Paróquia São José de Anchieta foi criada pelo Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa, no dia 25 de fevereiro de 2018, desmembrada da Paróquia Nossa Senhora do Bom Remédio e tem como comunidade: Comunidade Menino Deus.

São José de Anchieta

São José de Anchieta nasceu nas Ilhas Canárias, na Espanha, em 1534. Aos 16 anos fez um voto de castidade e após algum tempo ingressou na Companhia de Jesus.

Em 1553 foi enviado para o Brasil. Ainda não era sacerdote, mas estudava filosofia e teologia e evangelizou por meio de suas aulas. Ao longo dos 43 anos em que viveu no país Anchieta participou da fundação de escolas, cidades e igrejas.

No ano 1566, Anchieta foi ordenado sacerdote. Três anos depois, fundou o povoado de Reritiba, atual Anchieta, no Espírito Santo. E, em 1577, foi nomeado Provincial da Companhia de Jesus no Brasil, função que exerceu até 1585. Em 1595, Anchieta retirou-se para Reritiba, onde permaneceu até seu falecimento, aos 63 anos de idade, em 9 de junho de 1597.

A assinatura do decreto de canonização ocorreu 417 anos depois de sua morte, no dia 24 de abril de 2014, pelo papa Francisco, em Roma. No relatório final dos postuladores sobre a vida do jesuíta, um documento de 488 páginas, há o registro de 5.350 histórias de pessoas que alcançaram graças rezando a José de Anchieta
 
 
 

Outras notícias
2010 fundacaonazare.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade