DATA DE PUBLICAÇÃO: 05/05/2017
- Diminuir + Aumentar

Rede Nazaré de Televisão completa 15 anos com nova programação

  Inaugurada oficialmente no dia 11 de maio de 2002 em cerimônia solene no Centro de Cultura e Formação Cristã (CCFC), a Rede Nazaré de Televisão vem desde então realizando sua proposta de evangelizar e divulgar a Palavra de Deus na Amazônia Legal. 
 
Com 15 anos, a emissora passou por grandes mudanças e ampliações e atualmente conta com a modernização do sinal digital e dos seus estúdios e uma programação ao vivo.
 
A proposta da Rede Nazaré na Amazônia é de ser uma emissora alternativa que aborda os fatos, eventos e situações da vida em sociedade, na esfera social e religiosa. Desta forma, o público da emissora é amplo, pois reúne todos aqueles que buscam na televisão um meio de comunicação humanizado e que transmita valores. 
 
Para o Diretor de Comunicação da Fundação Nazaré, Mário Jorge Alves, é grande a importância da emissora, “haja vista tratar-se de uma Rede de Comunicação Regional, que contextualiza a mensagem na sua linguagem própria e dentro de sua realidade. Pelo potencial que a região apresenta através da sua biodiversidade, multiculturalismo e religiosidade, nosso desafio é comunicar essas riquezas com responsabilidade e com um olhar diferenciado da grande mídia”, ressaltou.
 
Mário Jorge avalia ainda que, futuramente, a Rede Nazaré apresente-se como veículo de comunicação do homem amazônida. “Estamos fazendo elevados investimentos para nos adequarmos às exigências legais no que diz respeito à digitalização de nossos equipamentos, garantindo-nos qualidade em nossas produções  e vislumbrar um horizonte sólido para continuarmos levando a notícia da Boa Nova aos mais distantes rincões desta Amazônia”, disse.
 
 
Programação é destaque
 
Ao longo de 15 anos, o mesmo padrão continua transmitindo através de uma programação que tem 70% de produção local, sendo o restante complementado com parcerias com outras emissoras. “Temos esse teor educativo, então prezamos por programas que valorizem o ser humano”, destaca Sidnney Mendes, diretor de programação da Rede Nazaré.
 
 
 
A programação vai ao ar durante 24 horas e é diversificada entre noticiários, cultural e litúrgica. Recentemente houve uma reformulação dos programas com mudança de dia e horário e alguns, sendo ao vivo. Retornou também à grade o programa “Comunidade Viva”, apresentado pelo Bispo Auxiliar, Dom Irineu Roman, que apresenta as comunidades e atividades pastorais da Arquidiocese de Belém.
 
  Uma TV moderna

Aliada à grade de programação está a qualidade digital do sinal repassado para o público. Uma resolução da Agência Nacional de Telecomunicações, a Anatel, determinou que até 2016, todas as transmissões a nível nacional sejam digitais. 
 
De acordo com supervisor técnico da Fundação Nazaré, Raimundo Brabo, o processo de digitalização da TV abrange três etapas, tendo o primeiro já sido concluído.
 
“A primeira etapa que é o sinal digital em Belém já foi concluída, como foi visto no Círio de Nazaré 2016,  transmitido em alta definição em grande parte. Agora o passo seguinte é o sinal digital do satélite que deve ser concluído até o final do ano e, a partir deste, chegar ao terceiro e último passo que é a digitalização das retransmissoras”, afirmou.
A tecnologia digital possibilita algumas inovações, além do ganho de qualidade, por exemplo, conferir a programação, participar de votações, ter legendas ou opções de áudio em outras línguas e muitos outros meios de interatividade por meio do controle remoto. A inovação alcança também os equipamentos que inclui câmeras, modernização da swichter, estúdio de gravação e adequação predial. Os custos para adaptação chegam a um milhão e trezentos mil reais, a maior parte financiada pelo programa FNO, do Banco da Amazônia, e contrapartida da Fundação Nazaré de Comunicação.

Histórico

A chegada da Rede Nazaré foi acalentada durante muito tempo, desde a criação da Rádio Nazaré em 1996. Em dezembro de 1999, como já era vontade na Arquidiocese de Belém por uma emissora de televisão católica, foi inaugurada uma torre de concreto com 100 metros de altura para retransmitir o sinal da Rede Vida, emissora de São José do Rio Preto, no Estado de São Paulo.
 
Entretanto os bispos da Arquidiocese buscavam promover uma emissora com programas locais visando a evangelização na realidade da região. Foi então que em 6 de outubro de 2000, nas celebrações dos 50 anos de sacerdócio de Dom Vicente Joaquim Zico, o ex-ministro das Comunicações Pimenta da Veiga e o ex-vice Presidente da República Marco Maciel premiaram a Arquidiocese com a outorga do Canal 30E UHF para Belém.
A 29 de janeiro de 2002, foi assinada pelo ex-ministro das Comunicações, Pimenta da Veiga a concessão por 15 anos da Rede Nazaré como geradora e no dia 11 de maio de 2002 foi de fato inaugurada com uma solene sessão na presença de autoridades eclesiásticas e civis. No dia 28 de maio de 2004 foi inaugurado oficialmente o sinal da Rede Nazaré via satélite, através da empresa New Skies Satelites. Logo após este momento a emissora conseguiu outras concessões e ampliou seu sinal pela Amazônia Legal, contando os estados do Pará, Amazonas, Acre, Rondônia, Roraima, Tocantins, Mato Grosso, Maranhão e Amapá pelo satélite para todas as Américas, toda a Europa e norte da África e via internet.

Equipe comprometida

Com 23 profissionais atualmente, a casa é considerada por muitos uma grande experiência profissional por conta do aprendizado que proporciona. Assim se sente Karollini Guimarães, repórter há seis anos e que teve seu início como estagiária. “Amadureci com as minhas experiências e a dos meus colegas de trabalho. Com grandes profissionais aprendi que a notícia é mais que um trabalho, é dar voz a quem muitas vezes não é ouvido, é contar histórias de pessoas incríveis que estão à margem da sociedade, é tratar o outro com a dignidade que merece ser tratado”.
Segundo a repórter o maior desafio vem no Círio de Nazaré que tem todos os detalhes captados e transmitidos pela Rede Nazaré. “A maior festividade que temos e transmitimos mais conteúdo que qualquer outra emissora. Isso é único e é incrível se pararmos para pensar. Acredito que a maior qualidade da Rede Nazaré são as pessoas que aqui trabalham e se esforçam para produzir bons materiais”.

Este comprometimento é sentido pelo público que assiste a emissora como é caso de Tereza Guimarães, 79, moradora do bairro Umarizal. Na residência da aposentada todos acompanham a programação. “Em casa a Rede Nazaré está em todos os compartimentos, assisto os noticiários, os programas de oração e principalmente as missas transmitidas. Recomendo para os amigos e durante o Círio sei que muitos acompanham de outros estados. Só tenho elogios para esta emissora”, destacou.
 



Outras notícias
2010 fundacaonazare.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade