DATA DE PUBLICAÇÃO: 19/05/2017
- Diminuir + Aumentar

Vida Religiosa Consagrada: Um Bioma da fraternidade

   
 
A CF 2017 tem como tema: Biomas Brasileiros e defesa da vida. O tema é complexo e podemos perguntar sobre a importância disto para a VRC? Temos que fazer uma leitura complementar para inserir nosso projeto de missão dentro deste grande contexto que, vivido na Quaresma, pede também a metanoia – conversão no interior de nós mesmos – para chegar a práticas e transformações segundo a vontade de Deus; afinal, é Deus que realiza as maravilhas (Lc 1,46-55).
 
A Vida Religiosa Consagrada pode ser considerado um Bioma que teve sua origem na vida eremítica (monge sozinho), depois migrou para a experiência cenobítica (monge comunitário), por alguns séculos ambas coexistiram juntas, depois evoluiu para Ordens das viúvas, depois surgiram os monges dedicados ao silêncio e a oração contemplativa. “O Espírito Santo suscitou ainda as  diversas famílias de Cónegos regulares, as Ordens mendicantes, os Clérigos regulares, e as Congregações religiosas masculinas e femininas, em geral, dedicadas à atividade apostólica e missionária e às múltiplas obras que a caridade cristã” (Cf. Vita Consecrata, 8-10).O mesmo Espírito fez desabrochar no século XIX os Institutos Seculares, homens e mulheres consagrados, porém, atuantes na sociedade sem vida comunitária. As Sociedades Apostólicas, algumas delas com votos temporários, assumiram também um papel importante no mosaico da VRC. 
 
Atualmente “surgiram novas formas de vida consagrada, que se vêm juntar às antigas, testemunham a constante atração que a doação total ao Senhor, o ideal da comunidade apostólica, os carismas de fundação continuam a exercer mesmo sobre a geração atual, e são sinal também da complementaridade dos dons do Espírito Santo” (Cf. Vita Consecrata, n. 12). Trata-se de biomas que interagem, recriam, mas não rompem a cadeia de vida da VRC como grupo humano inserido em contextos eclesiais sempre mais diversos e desafiadores. 
 
Podemos dizer que a VRC sofre as mutações do tempo, inclusive o desaparecimento de alguns carismas fundacionais, sem perder, no entanto, sua originalidade, ou seja, a fraternidade (Cf. Vita Consecrata, 42). Se há uma realidade microbiológica da VRC é a fraternidade com suas bactérias próprias e sua capacidade de transformar-se ao longo do tempo sem eliminar grupos humanos, mas enriquecendo as células com novo oxigênio a partir do dinamismo do Espirito Santo. 
 
 
 
 

Outras notícias
2010 fundacaonazare.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade