DATA DE PUBLICAÇÃO: 21/07/2017
- Diminuir + Aumentar

Mater ecclesiae: Anos Marianos -1

 
Prezados leitores, um ano, dito ou chamado mariano é um período no qual o Papa o convoca para se dedicar ao culto e veneração da Virgem Maria, ou a ela dedicar-lhe predileção.  Já tivemos três períodos chamados como tais, a saber: O primeiro convocado pelo papa Pio XII entre 1953 e 1954, o segundo foi convocado pelo Papa João Paulo II entre 1987 e 1988, o terceiro também foi convocado pelo Papa João Paulo II entre os anos 2002 e 2003, observando este último, portanto, o Ano do Rosário. 
 
O primeiro Ano Mariano foi convocado pelo papa Pio XII na ocasião do centenário da proclamação do Dogma da Imaculada Conceição da Virgem Maria, dogma este, proclamado pelo Beato Pio IX em 08 de dezembro de 1854, naquele ano, [1953-1954] o Sumo Pontífice, Pio XII, depois de proclamar e viver o ano Santo de 1950 no qual ele mesmo proclamou o Dogma da Assunção da Bem-Aventurada Virgem Maria Mãe de Deus Virgem, convocara toda a Igreja a viver o Ano Mariano o primeiro da História, então celebrando os dois últimos dogmas, o faz, com a indicação e publicação da Carta Encíclica Fulgens Corona, publicada 8 de setembro de 1953 , começando a oito dezembro e foi encerrada em 08 de dezembro de 1954 .
 
A celebração do Ano Mariano é promulgada em todo o mundo para marcar o centenário da definição do dogma da Imaculada Conceição da Bem-Aventurada Virgem Maria 08 de setembro 1953, conforme falamos acima, lógico que aqui não podemos citá-la toda, mas vale como uma importante leitura espiritual. 
 
Apenas cito esse trecho: "Veneráveis Irmãos, saúde e benção apostólica. 
 
A coroa brilhante de glória ao Senhor cingiu a frente mais pura da Virgem Mãe de Deus parece-nos a vê-lo brilhar mais intensamente enquanto ela se lembrava do dia em que, há cem anos, o nosso predecessor de feliz memória, Pio IX, rodeado por imponentes número cardeais e bispos, com autoridade infalível declarou, proclamou solenemente definido que “ele foi revelado por Deus e, portanto, deve ser crida com fé firme e inabalável portodos os fiéis a doutrina que sustenta que a Santíssima Virgem Maria, a partir de o primeiro momento da sua concepção, por singular graça e privilégio de Deus todo-Poderoso, foi preservada imune de toda mancha de pecado original, em vista dos méritos de Jesus Cristo, Salvador da humanidade, toda a Igreja Católica recebeu com alegria o julgamento do Pontífice, que há muito aguarda com expectativa, e reacenderam com esta devoção dos fiéis à Santíssima Virgem, que faz florescer mais alto grau de virtudes cristãs, adquiriu novo vigor e também eles ganharam estudos impulso com a dignidade ea santidade da Mãe de Deus brilhou com maior esplendor”. 
 
Faz uma estreita relação do dogma da Imaculada com a Assuntapenas cito esse trecho:  
 
“Parece-nos também que esta pérola preciosa que o diadema sagrado da Virgem Maria foi enriquecido brilha hoje, mais brilho,, depois de ter tocado, pelo projeto da Providência divina, no Ano Santo de 1950, o destino Ele ainda está vivo no nosso coração memória- tão doce para definir a Assunção da Santa Mãe de Deus, em corpo e alma ao céu, satisfazendo assim os desejos do povo cristão que particularmente tinham sido feitas quando foi solenemente definida da Imaculada Conceição. Naquela ocasião, na verdade, como escreveu na carta apostólica Munificentissimus Deus “, os corações dos fiéis foram movidos por um desejo mais vivo que também o dogma da assunção corpórea da Virgem ao céu para ser definido o mais rápido possível por o magistério supremo da Igreja “. Parece, então, que com este todos os fiéis podem levar a uma maior e mais eficiente a sua mente e coração para o mistério da Imaculada Conceição da mesma Virgem.
 
 
Este artigo terá continuidade na próxima edição da coluna "Mater ecclesiae".
 
 
 



Outras notícias
2010 fundacaonazare.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade