DATA DE PUBLICAÇÃO: 28/07/2017
- Diminuir + Aumentar

Seminário Menor São João Maria Vianney celebra o padroeiro

 
Para comemorar o Dia de São João Maria Vianney, padroeiro do Seminário Menor São João Maria Vianney, será celebrada missa no seminário arquidiocesano no dia 4, em Belém. A celebração será presidida pelo Bispo Auxiliar de Belém, Dom Irineu Roman, e concelebrada pelo reitor do seminário, Padre Everson Corrêa. A ocasião deve reunir os seminaristas e, em seguida, jantar festivo. O Seminário localiza-se no Conjunto Satélite, Travessa WE 06, 415, bairro do Coqueiro.
 
O Seminário Menor São Maria Vianney, instaurado em fevereiro de 2014, acolhe atualmente quatro seminaristas, que estão cursando o ensino médio. O seminário menor faz parte do processo de formação desses jovens. Depois do momento de acompanhamento nos encontros vocacionais, o candidato é convidado a ingressar na casa de formação e, dependendo do ano em que estiver do ensino médio, passará no seminário menor no máximo três anos. Ao concluir essa etapa, o candidato ingressa no Seminário Propedêutico Dom Tadeu Prost. Lá o candidato fica um ano em preparação, ao fim do qual passa por uma avaliação.
 
Caso aprovado, passa para a etapa seguinte, no Seminário Maior São Pio X, onde cursa a filosofia durante três anos e o curso de Teologia por quatro anos. No decorrer dos anos de teologia, o candidato é admitido nos diversos ministérios: admissão as ordens, no primeiro ano de teologia; leitorado, no segundo ano, acolitado no terceiro ano. Após a devida aprovação o candidato ingressa no ano pastoral, quando são marcadas as ordenações ao diaconato e ao presbiterado.
 
Segundo o reitor do seminário, Padre Everson Corrêa, o seminário possui uma equipe formativa, sendo o Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa, o principal responsável pela formação. Entre os formadores há ainda o reitor e o vice do Seminário Maior, respectivamente, Cônego Vladian Alves e Padre Cleiton da Silva; o reitor do Seminário Propedêutico, Padre Lindomar Pinheiro; o reitor do Seminário Providentino, Padre Antônio Luiz Farias; o reitor e vice do seminário Redemptoris Mater, Padre Carlos Damaglio e Padre Cleidivan Bezerra e o diretor espiritual dos seminários, Cônego Jaime Pereira.
 
Para Padre Everson, São João Maria Vianney é exemplo a ser seguido: “Com certeza São João Maria é modelo para os seminaristas de amor a Deus, dedicação ao povo e perseverança diante das adversidades. Vivemos em tempos muito difíceis para a resposta à vocação sacerdotal, pois os jovens hoje em dia são muito narcisistas. Pensam que têm direito a tudo, mas mesmo assim se consideram infelizes; não se acham dignos de se dizer felizes em várias questões de sua vida. Isso está muito ligado à criação que tiveram. Vêm de uma geração em que os pais lhe deram tudo. Supriram todas as suas necessidades e os privaram do sofrimento. E quando uma pessoa não sofre, ela não é capaz de amadurecer. Nisto São João Maria é um grande modelo a ser seguido”.
 
  Padroeiro dos sacerdotes  

A Igreja celebra 4 de agosto a memória litúrgica de São João Maria Vianney, o Cura D’Ars. São João Maria Vianney é o padroeiro dos sacerdotes. Na mesma data comemora-se o Dia do Padre. Oficialmente o Dia do Padre é celebrado desde 1929, quando o Papa Pio XI proclamou São João Maria Vianney “homem extraordinário e todo apostólico, padroeiro celeste de todos os párocos de Roma e do mundo católico”.
 
 
O padroeiro dos sacerdotes nasceu na França, no ano de 1786. A alfabetização tardia foi uma das dificuldades enfrentadas, mas as superou, sendo ordenado sacerdote. O Bispo que o ordenou acreditou que o seu ministério não seria o do confessionário, entendendo que sua capacidade intelectual seria muito limitada para dar conselhos.
 
São João Maria Vianney é conhecido como o Cura D’Ars, devido ao nome do povoado no qual serviu durante 41 anos. Grande confessor, tinha o dom da profecia. O sacerdote chegava a ficar cerca de 10 horas no confessionário, em busca da salvação das almas. Em fevereiro de 1818 transferiram-no para Ars. Preocupava-se com os pobres e vivia intensamente a virtude da humildade.
 
Ensinava o catecismo às crianças e lutou para que aos domingos as pessoas não trabalhassem ou estivessem em bares. Tornou-se popular e milhares de pessoas de todas as partes chegavam para confessar-se com ele. Chegou a confessar mais de 100 mil pessoas no último ano de sua vida. O Cura D’Ars faleceu em 4 de agosto de 1859. Seu corpo permanece incorrupto na Igreja de Ars. Em 8 de janeiro de 1905, o Papa Pio X beatificou-o e na festa de Pentecostes, em 31 de maio de 1925, o Papa Pio XI declarou-o Santo.


Confraternização do clero no Tabor, em Icoaraci, para celebração da data 

No Centro de Espiritualidade Monte Tabor, em Icoaraci, o clero da Arquidiocese de Belém é convidado a participar da tradicional confraternização do clero para celebrar São João Maria Vianney, padroeiro dos padres. O encontro, dia 7, será marcado com missa presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa, e em seguida confraternização.
 
A confraternização faz parte do calendário oficial da Arquidiocese de Belém, cuja organização é feita pela pastoral presbiteral. O evento objetiva celebrar o dia dedicado aos sacerdotes por ocasião do Dia de São João Maria Vianney, padroeiro dos padres, e proporcionar um momento de confraternização entre os religiosos. Após a celebração eucarística, o clero confraterniza-se durante o café fraterno. Segundo Padre Tiago Barros, da Comunidade Semente do Verbo, a ocasião é de vivência fraterna entre eles: “É um momento de fraternidade eclesial. É uma oportunidade de os sacerdotes poderem também entre eles conviver, se encontrar, confraternizar-se, mas, claro, agradecendo a Deus pelo dom desse ministério sacerdotal, agradecendo a Deus pelo povo de Deus que com certeza também reza por nós. Então vamos celebrar essa missa nessa intenção”. 
 



Outras notícias
2010 fundacaonazare.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade