DATA DE PUBLICAÇÃO: 11/08/2017
- Diminuir + Aumentar

Missa em Libras no encontro da Pastoral do Surdo em Belém

 
A Pastoral do Surdo em conjunto com o Instituto Felipe Smaldone, promovem de 11 a 13 de agosto o segundo “Encontro da Pastoral do Surdo e Intérprete Católico da Região Norte”, com participação de representantes das diversas dioceses e paróquias da região. Um dos públicos alvos do evento são os catequistas que lidam diretamente na evangelização de crianças e adolescentes.
 
Um momento especial da programação é a Missa em Libras (linguagem de sinais), no sábado, às 18h, celebrada pelo Padre Wilson Czaia, de Curitiba. Padre Wilson Czaia é o primeiro padre surdo do Paraná e o segundo do Brasil.
 
Durante os três dias de formação os participantes receberão formações com  temas sobre “O papel missionário na comunidade surda”; “A importância do missionário surdo na vida cristã”; “O que é fé?”; “Violência contra os jovens surdos”; “A importância do tradutor intérprete na Santa Missa” e “Jesus caminho, verdade e vida”. 
A programação cultural contará a ‘surdança musical’, coral surdo e apresentação de teatro em libras sobre o Círio de Nazaré e as aparições de Nossa Senhora. O encerramento da programação será na Basílica Santuário com Santa Missa, às 11h.
 
Para a irmã Círia Gomes de Oliveira, uma das organizadoras do evento, a formação é importante para promover aos catequistas à aprendizagem da linguagem de sinais as libras, para que os deficientes auditivos possam se acolhidos nos processo de aprendizagem da formação cristã, para que não haja barreiras para construir o caminho da evangelização. Pensar na surdez requer adentrar no mundo diferente onde o contato com essas pessoas é através das mãos, para evangelizá-los é preciso aprender e conhecer sua linguagem.
 
“Pensar na surdez requer adentrar o mundo surdo e ouvir suas mãos que com movimentos e expressões dizem o que fazer para tornar possível o contato entre mundos envolvidos em busca de Deus, e a Igreja precisa acolher essa diferença. Para evangelizar o surdo é preciso ir ao seu encontro, aprender sua língua, conhecer sua cultura, sua identidade, ouvir e entender o seu silêncio, afinal, Deus se fez carne e habitou entre nós para nos falar do seu amor que levou Jesus a dispensar especial atenção para o surdo”, destaca o relato do material informativo do evento.

Serviço

O Encontro acontece no Retiro Nossa Senhora de Lourdes, localizado na Estrada do Caixa Pará, Alameda Jardim Estela, 134, (acesso pela rua ao lado do Hospital Unimed). Informações pelo telefone: (91) 99324-8710.
 
 
Trabalhar pela inclusão dos portadores de necessidades especiais na igreja. Esse é o principal desafio do primeiro padre nascido com surdez profunda do Paraná e segundo do Brasil. Ele foi ordenado em 2006 na Igreja de São Francisco de Paula, em Curitiba.
 
 
Único sacerdote com surdez profunda no Brasil, padre Wilson Czaia, recebe convite de diversas partes do Brasil, num trabalho missionário de inclusão dos surdos; nestas ocasiões ele é chamado também para realização de missas em Língua Brasileira de Sinais; as celebrações contam sempre com um intérprete.
 
“Nunca ouvi um som desde criança, sou surdo até hoje. Passei a fase da adolescência, aceitei as dificuldades e hoje temos a Libras, que é a segunda língua oficial do país, que ajuda bastante na nossa comunicação. Acredito que Deus me escolheu, já tinha um projeto para a minha vida, e me tornei padre”, disse o sacerdote.
 
Os surdos representam um contingente de quase seis milhões de pessoas em todo o Brasil. Pelo fato de não ouvirem, muitos surdos também não aprenderam falar; por essas mesmas razões não tiveram acesso aos ensinos formais.  A Igreja Católica   tem desenvolvido um ótimo trabalho através da Pastoral dos Surdos.
 
Mais que uma vitória pessoal, Padre Czaia destacou na época da sua ordenação que sua conquista serve de exemplo para portadores de necessidades especiais que queiram seguir o sacerdócio. “Pude ajudar a provar que os surdos têm capacidade. Agora vou trabalhar pela inclusão deles na Igreja”, disse. O então arcebispo metropolitano de Curitiba, Dom Moacyr Vitti, afirmou na ocasião que a ordenação do padre Czaia ajudaria a atrair a atenção de um público diferenciado: “Essa é uma conquista importante para o Brasil todo. Ela nos auxiliará a atingir os irmãos deficientes na sua própria linguagem”.
 
Czaia, que havia sido ordenado diácono em junho, iniciou sua trajetória na igreja em 1999, atuando na Pastoral dos Surdos de Curitiba. Em 2000, ele passou a morar em um seminário, recebendo o mesmo tratamento de outros seminaristas. De diferente, apenas as adaptações a sua necessidade especial.
 
O primeiro padre nascido surdo ordenado no Brasil foi o monsenhor Vicente Burnier, que se tornou sacerdote em 1951, em Juiz de Fora (MG). No mundo todo, existem padres com essa deficiência apenas nos Estados Unidos, Coréia e África do Sul, além do Brasil.
 
Pastoral do Surdo 

A Pastoral do Surdo é uma ação da Igreja Católica que tem como princípio e fundamentação no próprio projeto de vida e da pessoa de Jesus Cristo relatada no texto de Marcos 7, 32-35. E tem como missão os seguintes preceitos:
 
l Anunciar Jesus Cristo às Comunidades de Surdos, presentes nos Regionais do Brasil através dos agentes de evangelização (catequistas e coordenadores);
 
l Possibilitar aos surdos um espaço dentro da Igreja Católica, assumindo diversos serviços e de ministérios; 
l Dar testemunho de vida cristã dentro da Comunidade, buscando eliminar o preconceito, o individualismo e a discriminação, presente ainda hoje nas famílias, nas escolas, no mundo do trabalho e nas Igrejas; 
 
l Conhecer os meios de comunicação do surdo, particularmente a Libras (Língua Brasileira de Sinais), instrumento e mediação do diálogo com os outros e com Deus; 
 
l Respeitar a identidade e a cultura dos surdos brasileiros e de outras comunidades de surdos do mundo, a fim de valorizar a vida e todas as suas potencialidades.
 



Outras notícias
2010 fundacaonazare.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade