DATA DE PUBLICAÇÃO: 11/08/2017
- Diminuir + Aumentar

Fundação Nazaré evangelizando também por dispositivos móveis

 
 
Há muito tempo o celular smartphone deixou de ser um aparelho utilizado apenas para efetuar ligações e enviar mensagens de texto. Atualmente, com a força da internet, esses aparelhos são um recurso para solicitar refeição, ouvir músicas, checar emails, solicitar um serviço de transporte, compras e atualizar redes sociais. Mas, uma ferramenta que tem crescido entre os brasileiros, é a de assistir a programas de televisão direto no telefone celular. Acompanhando essa transformação, a Fundação Nazaré utiliza plataformas para alcançar o seu público, disponibilizando conteúdo e, assim, evangelizar mais e melhor a partir da internet.
 
 
Segundo os dados divulgados pela 28ª Pesquisa Anual de Administração e Uso de Tecnologia da Informação nas Empresas, promovida pela Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV-SP), até o final deste ano no Brasil haverá um smartphone em uso por habitante. Em apenas quatro anos, o número de usuários desse tipo de aparelho aumentou 3,5 vezes no país, passando de 14% em 2012 para 62% em 2016. A tendência é global, visto que neste mesmo período os números ao redor do mundo subiram de 33,3% para 70%.
 
 
 
Paul Adrian, coordenador da Central de Processamento de Dados (CPD) da Fundação Nazaré, afirma que a realidade atual é reflexo de uma convergência para os dispositivos móveis: “Deixou de ser uma simples ferramenta e hoje é comparado a um computador de bolso”. 
 
Segundo o coordenador, o trabalho de evangelização realizado pela Fundação torna-se mais ampliado com a internet.
 
“Hoje não tem como se trabalhar com a evangelização apenas com os veículos tradicionais. Na internet o conteúdo tem um maior alcance e, principalmente, viraliza com mais facilidade”, afirma Paul. De acordo com o coordenador, o trabalho da Fundação Nazaré na internet teve início em outubro, com a inauguração do Portal Nazaré.
 
O veículo que funcionava antes como um simples site, trata-se de uma ferramenta de grande abrangência que possibilita a divulgação dos assuntos da Igreja na Amazônia e no mundo em vários formatos e plataformas adequadas aos atuais avanços tecnológicos. Aliado a isso, há atualmente a plataforma de vídeos, Youtube, que, desde o ano passado, é o canal mais utilizado por quem acessa o conteúdo da Fundação Nazaré por conta das transmissões ao vivo da Rede Nazaré de Televisão.
 
De acordo com métrica fornecida pelo CPD, as transmissões do canal da Fundação Nazaré no Youtube alcançam em média, por mês, de 80 a 92 países no mundo todo. Em dois dias, a média de acessos chega a 1,4 mil. “É um serviço (o de streaming) que vem ganhando muita força. Nosso próximo passo é realizar a integração total da transmissão Full HD com nossos aplicativos de smartphones”, destaca Paul. A integração já acontece com o sistema Android e, até outubro desse ano, com o sistema IOS.
 
A engenheira elétrica, Ângela Santa Brígida, 57 anos, por conta de um problema de saúde na coluna, utiliza o celular como ferramenta de estudo de documentos bíblicos. “Ele (o celular) sempre está comigo para onde vou. Acho que devemos estar sincronizados com a tecnologia e ter uma relação interativo-tecnológico”.
 
Há cerca de três meses pelo telefone, por meio das transmissões ao vivo da Fundação Nazaré pelo Youtube, Ângela acompanha grande parte da programação da Rede Nazaré de Televisão. “É uma forma eficaz de catequese e de evangelização. Por conta da minha condição de saúde o telefone tem sido um grande aliado para assistir a programação, seja em casa como na sala de espera do médico. Você imagina se houvesse internet no tempo de São Paulo, como não seria”, brinca a engenheira.
 
  Funcionalidades e comodidades

No primeiro semestre deste ano o brasileiro voltou a gastar com smartphones, o que contribuiu para um aumento de 25,4% nas vendas de dispositivos no país ao longo do primeiro trimestre deste ano. De acordo com os números do IDC, empresa de consultoria de tecnologia, cerca de 12,4 milhões de celulares foram comercializados no Brasil entre janeiro e março.
 
 

Esse dado corrobora a pesquisa da Fundação Getúlio Vargas isso porque os primeiros três meses do ano, normalmente, são um período fraco para a indústria de smartphones devido à ausência de lançamentos e à grande movimentação do final de ano, que acaba freando o consumo no período seguinte.

Outro estudo, da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), divulgado pelo IBGE, aponta que mais da metade dos brasileiros está conectada à internet. A mesma consulta aponta que o brasileiro prefere o celular ao computador.  Na pesquisa constatou-se que setenta milhões de pessoas passaram a entrar na internet através do celular em 2014, um salto em relação aos 39 milhões que fizeram o mesmo no ano anterior. A pesquisa mostra, ainda que, 16 milhões de consumidores só usam o telefone celular para entrar na internet.

 



Outras notícias
2010 fundacaonazare.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade