DATA DE PUBLICAÇÃO: 06/10/2017
- Diminuir + Aumentar

Servir por amor e fé a Nossa Senhora

 
Acolher, independente da cor, da raça, do estado físico e psicológico. Acolher através do elo com o Círio, pelo amor a Nossa Senhora de Nazaré. Esse é o trabalho desenvolvido pela Pastoral da Acolhida da Paróquia de Nazaré, que há mais de 15 anos atua amparando romeiros e peregrinos que vêm de todas as regiões do Brasil participar da maior manifestação de fé católica do mundo.
 
Criada em 2001 pelo padre Sílvio Jaques, a Pastoral nasceu da necessidade de um local em que os peregrinos pudessem descansar e se alimentar após percorrerem longas jornadas, de dias e até semanas, rumo ao Santuário da Rainha da Amazônia. Padre Giovanni Incampo, pároco de Nazaré e Diretor Espiritual da Acolhida, lembra como era antes da implantação da Pastoral: “Os peregrinos e grupos de romeiros que pagavam suas promessas vindo a pé rumo à Basílica Santuário chegavam exaustos, descansavam na calçada em frente à igreja, muitas das vezes dependiam da solidariedade dos passantes por um copo de água, um papelão para que pudessem se abrigar do sol”. Logo depois, no primeiro ano de trabalho, os integrantes da Pastoral recebiam os peregrinos apenas com café e pão.
 
Este ano, a Pastoral está sob a coordenação do casal João e Úrsula Rodrigues, atuantes há anos na Pastoral Familiar. O convite lhes foi feito pelo padre Giovanni Incampo. Úrsula relembra o momento: “Estávamos participando de uma adoração do Grupo Bom Pastor e, ao final, o padre Giovanni nos chamou explicando a missão e nos convidando, não tivemos nem o que pensar, nosso “sim” foi imediato, com a certeza de que Maria nos guiaria nessa abençoada missão”. Desde o “sim”, o casal desenvolveu uma série de reuniões com os coordenadores de equipes, com o objetivo de colher informações sobre cada setor. 
 
Este ano cerca de 1.300 voluntários se inscreveram para atuar na Pastoral. A preparação para o acolhimento dos fiéis começou em junho, quando as inscrições para os voluntários foram abertas. A partir de então, diversas reuniões, espiritualidades, encontros de formação, capacitações e missas foram celebradas com o objetivo de organizar o trabalho desenvolvido. Os voluntários foram divididos nos seguintes setores: acolhimento, atendimento, saúde, massagem, liturgia, limpeza, cozinha, apoio aos voluntários e almoxarifado. Todo material utilizado durante o atendimento aos peregrinos provém de doações dos próprios voluntários da Pastoral e também de pessoas no Brasil inteiro que sentem o chamado para ajudar. 
 
O coordenador João Rodrigues destaca que para a concretização da missão é preciso muito trabalho e dedicação: “Para a missão acontecer precisamos ter uma estrutura. Quando digo isso refiro-me à estrutura enquanto casal, enquanto cristão. Receber essa missão foi receber um presente e conscientizar cada voluntário da Pastoral do amor que é preciso ter para o desenvolvimento do trabalho, da solidariedade e acima de tudo da fé, é um desafio diário”.
 
Mesmo com o esforço diário e a mudança de rotina, o casal se sente abençoado por poder servir à Rainha da Amazônia: “Nosso sim foi um compromisso, que exercemos diariamente. Sem restrições, sem por quês. Acreditamos que estamos na direção em que Jesus e Maria nos colocaram”.
 
Casa de Plácido - Um dos lugares que mais expressam o trabalho do acolhimento é a Casa de Plácido, no Centro Social de Nazaré. Inaugurada em maio de 2009, a estrutura do espaço foi especialmente idealizada pelos Padres Barnabitas para proporcionar conforto aos devotos de Nossa Senhora de Nazaré. O espaço conta com mil metros quadrados, banheiros, refeitório, salão de repouso, ambulatório e uma exposição permanente chamada de “Salão dos Milagres”. A construção só foi erguida graças à fé e à doação de centenas de fiéis. O nome foi uma homenagem ao paraense Plácido José de Souza, que em 1700 encontrou a imagem Original e deu início a toda a devoção à Senhora de Nazaré. 
 
 
 

Outras notícias
2010 fundacaonazare.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade