DATA DE PUBLICAÇÃO: 04/04/2019
- Diminuir + Aumentar

Arquidiocese de Belém presente em encontro nacional de juventude

Foto: Luiz Estumano.
 
A Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude (CEPJ), da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) reuniu-se nos dias 20 e 21 de março com os 18 bispos referenciais de juventude, juntamente com padres assessores regionais, para um momento de partilha de experiências e formação. Esse é um encontro que acontece anualmente para melhor se articular o trabalho da Pastoral Juvenil nos 18 regionais da CNBB.
 
O encontro nacional aconteceu no Centro Cultural Missionário em Brasília – DF. Estiveram presentes o bispo auxiliar de Belém, Dom Antônio de Assis Ribeiro, bispo referencial no Regional Norte II, e o Pe. Maurício Henrique, pároco na Paróquia Jesus Ressuscitado, que estará auxiliando o trabalho juvenil no regional.
 
A coordenação da Comissão conduziu todo o encontro, a  saber: Dom Vilsom Basso, presidente da CEPJ; Dom Antônio Vilar e Dom Nelson Francelino, membros da CEPJ, e Pe. Antônio Ramos do Padro, assessor nacional da CEPJ. A Comissão conta também com uma coordenação nacional de jovens, uma equipe de comunicação e uma equipe para preparar os subsídios formativos.
 
Na ocasião, cada bispo e padre puderam partilhar as experiências pastorais em seus respectivos regionais. Apresentavam todo o processo de escuta, diálogo, visitas às dioceses, as urgências e angústias pastorais, realidades a serem assumidas com maior zelo pastoral, bem como, avanços, conquistas e frutos desse nobre trabalho.
 
Dom Antônio apresentou a realidade pastoral, cultural e geográfica do Regional Norte II e a necessidade de estabelecer diálogo com as dioceses para a articulação de um projeto comum no trabalho da Pastoral Juvenil. Pe. Maurício pôde apresentar o Projeto Educativo- Pastoral Juvenil elaborado em na Arquidiocese de Belém e a sua aplicação nas regiões episcopais. Falou também do Arco-Formativo estabelecido no Centro Juvenil Arquidiocesano que possibilita um itinerário formativo para lideranças jovens, conselhos regionais e juventude em geral.
 
A coordenação da Comissão Episcopal fez menção aos cursos de capacitação à distância oferecidos no site “Jovens Conectados”, que possibilita a formação de lideranças, assessores e acompanhadores juvenis. Foram apresentados alguns padres que concluíram a pós-graduação em acompanhamento de jovens por meio dos cursos do EAD disponíveis no site. "Reconhecemos que, para o trabalho pastoral, faz-se necessário a capacitação dos agentes para melhor desenvolverem o serviço que exige a capacidade de conhecer as realidades juvenis, para melhor dialogar e propor o Evangelho", ressalta padre Maurício.
 
Foi apresentado o relatório geral das atividades do quadriênio da CEPJ, uma vez que no mês de maio/2019 uma nova coordenação assumirá essa comissão. Foram intensas atividades, tais quais: reuniões e encontros nacionais com várias expressões juvenis, encontros internacionais, produção de subsídios (para a JDJ, DNJ, Campanha da Fraternidade, cadernos formativos), semanas missionárias, assessorias nos regionais e dioceses, romarias...
 
Na parte formativa, o jovem Lucas Galhardo, membro da CEPJ que participou do Sínodo para a Juventude realizado em outubro passado no Vaticano, estava presente, e destacou na reunião a Igreja no trabalho da Pastoral Juvenil e que foi discutido no Sínodo: a capacidade da escuta e do diálogo entre as gerações em uma cultura de encontro e gratuidade; a necessidade de ir ao encontro dos jovens mais marginalizados; conversão pastoral-missionária assumindo como prioridade decisiva a pastoral juvenil investindo tempo, energia e recursos; as atitudes que devem nos acompanhar nesse serviço juvenil: acolher, promover, integrar e proteger".
 
Padre Maurício relata que o encontro foi muito produtivo. Ampliou horizontes nesse serviço pastoral, encheu-se de ideias pastorais, ajudando-o a pensar um trabalho pastoral articulado em comunhão com as intuições do sínodo, além de ter reforçado e animado aquilo que já se está desenvolvendo na Arquidiocese. “Desejamos que o Projeto Juvenil, lançado pelo Setor Juventude da nossa Arquidiocese seja cada vez mais assimilado nessa experiência de comunhão e serviço pastoral. Que nossos jovens sejam bem formados nas dimensões humana e espiritual tornando-se bons cristãos, cidadãos e profissionais. Nosso trabalho continua nesse esforço contínuo de atender essa parcela do povo de Deus”, diz o padre.
 
A coordenação da CEJP levou em consideração todas as intervenções que foram feitas durante o encontro para aperfeiçoar cada vez mais o trabalho nacional. Dom Antônio aponta alguns temas preocupantes e urgências pastorais apresentados pelos bispos: necessidade de um processo pedagógico para a Pastoral Juvenil, formação de sacerdotes e assessores adultos, inserir os jovens nos conselhos municipais formando lideranças políticas, atenção à juventude afro e indígena, o drama do vazio existencial nos jovens, drogadição, alto índice de homicídios entre a juventude, necessidade de se articular experiências formativas e de oração, motivar os jovens para a missão, promover comunhão entre as várias expressões juvenis, assumir o trabalho com a juventude como uma questão social suscitando parcerias com outras instituições e órgãos públicos.
 
Dom Antônio afirma que “a riqueza da partilha das experiências pastorais com a juventude nos leva a perceber e acolher com alegria a grande sensibilidade da Igreja para com os jovens. A Igreja do Brasil, em comunhão com o Papa Francisco, renova seu carinho e compromisso pastoral com a juventude”.
 
O Setor Juventude tem realizado suas atividades pastorais em cada uma de nossas regiões episcopais e tem se esforçado cada vez mais para que nossa juventude assimile aquilo que está contido no Projeto Pastoral e crie cada vez mais uma rede de comunhão bem articulada buscando o devido preparo humano-catequético-espiritual para o serviço. Com esse encontro nacional, Dom Antônio deseja reavivar cada vez mais aquilo que já vem sendo realizado articulandotambém o trabalho com as dioceses do nosso regional. 
 
“Que o Senhor, Bom Pastor, suscite cada vez mais jovens comprometidos com a Pastoral Juvenil de nossa Arquidiocese”, intercede Pe. Maurício acreditando que é possível desenvolver aquilo que pede o Sínodo dos Bispos para a Juventude.
 



Outras notícias
2010 fundacaonazare.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade