DATA DE PUBLICAÇÃO: 17/04/2019
- Diminuir + Aumentar

Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo

Foto: Luiz Estumano.
 

A partir desta Sexta-feira Santa,  a Igreja acompanha celebrações litúrgicas que recordam a Paixão de Nosso Senhor pela salvação de toda a humanidade. Participe!

SEXTA-FEIRA SANTA


Após celebrar a Última Ceia de Jesus com seus discípulos e aprender dos seus ensinamentos com a Igreja, esposa de Cristo, a Arquidiocese de Belém reviverá um dos grandes momentos litúrgicos que é a Ação Litúrgica da Paixão do Senhor nesta Sexta-feira Santa, quando, irmanado, todo o povo de Deus em Belém irá meditar sobre a maior prova de amor de Deus à humanidade ao dar ao mundo o seu único Filho por amor de cada ser humano. À luz do tema ‘‘Jesus Cristo se tornou obediente até a morte numa cruz” a Sexta-feira Santa será repleta de celebrações para recordar a Paixão do Senhor.
 

Às 7h, a Procissão do Senhor dos Passos sairá da Basílica Santuário de Nazaré com a imagem do Senhor dos Passos, enquanto a Procissão de Nossa Senhora das Dores sairá às 8h da Igreja de São João Batista (São Joãozinho), com destino à Igreja das Mercês, à frente da qual ocorre o encontro de ambas. Nesse momento acontecerá o chamado Sermão do Encontro, cujo pregador será o padre Ivan da Silva Conceição, pároco da Paróquia de Nossa Senhora do Amparo. Após o Sermão, ambas as imagens seguirão juntas, numa só procissão, rumo à Catedral.


O povo de Deus está convidado pela Arquidiocese de Belém a participar de um dos mais fortes momentos de fé da Semana Santa, o Sermão das Sete Palavras, proferido, das 12h às 15h, na Capela do Colégio Santo Antônio, localizada na praça Dom Macedo Costa. Este ano ele será proferido, escolha de Dom Alberto, pelo padre Moisés do Socorro Lima de Matos, pároco da Paróquia de Santa Maria Goretti.


  Às 17h, na Catedral, Ação Litúrgica da Paixão do Senhor, rito constante da Leitura da Paixão do Senhor, Oração Universal, Adoração da Cruz e Sagrada Comunhão.


  A Adoração às Sagradas Reservas, na Catedral, estará a cargo, das 20h às 21h, do Apostolado da Oração; das 20h às 21h, Legião de Maria; das 21h às 22h, Liturgia e Setores Missionários; das 22h às 23h, Pastoral Familiar e Encontro de Casais com Cristo (ECC); das 23h às 00h, Novas Comunidades e Grupo Jovem.


O pregador do Sermão do Descendimento da Cruz, às 18h30, na Catedral, será Frei Edilson Rocha da Silva, OFM , pároco da Paróquia de Santo Antônio de Lisboa.


  A última programação da Sexta-feira Santa será a Procissão do Senhor Morto, às 19h, quando a imagem do Senhor Morto será conduzida pelos fiéis pelas principais ruas da Cidade Velha, retornando à Catedral. Para essa procissão, a Arquidiocese recomenda aos fiéis que levem vela com protetor, para evitar possíveis transtornos.

Sermão das Sete Palavras  - Tradição há 140 anos

Nesta Sexta-feira Santa a Arquidiocese de Belém também celebra 140 anos de tradição das pregações do Sermão das Sete Palavras. Uma programação diferenciada na Capela do Colégio Santo Antônio marcará esse momento com o sermão a ser proferido pelo padre Moisés Matos.  


Às 9h Via Sacra, seguida do Santo Terço. Coral Santa Cecília se apresentará às 11h30, antecedendo o Sermão das Sete Palavras. Após o Sermão, a procissão do Senhor Morto no interior da Capela.

Domingo de Ramos iniciou grandes celebrações

Domingo, Dia do Senhor, 14 de abril, a Igreja deu início à Semana Santa, com diversas celebrações em todas as paróquias, com destaque para bênção e a procissão de Domingo de Ramos, que precedeu a Santa Missa na Catedral Metropolitana de Belém, sob a presidência do  Arcebispo Dom Alberto Taveira Corrêa.


A concentração para a procissão foi na Igreja de Santo Alexandre, local em que Dom Alberto abençoou os ramos levados pelos fiéis como representação da saudação a Jesus por ocasião de sua entrada em Jerusalem, momento triunfal do Senhor, montado em um jumentinho.


Após a bênção dos ramos, a procissão percorreu o entorno da igreja, na praça Frei Caetano Brandão, encerrando-se na Catedral, onde, às 8h30, houve a Santa Missa.

A PROCISSÃO DE RAMOS

A procissão de Ramos recorda a solene entrada de Nosso Senhor Jesus Cristo em Jerusalém. Os ramos nas mãos dos fiéis significam que reconhecem Jesus como o Messias de Israel, prometido por Deus, o seu Rei, e que se dispõem a segui-lo.


O Domingo de Ramos inicia liturgicamente a Semana Santa que, como ponto alto, tem a Sexta-feira Santa, celebração memorial da crucificação e morte de Jesus. Com o Domingo de Ramos a Igreja  lembra que Jesus é Rei, mas entra na Cidade Santa para ser flagelado, insultado e ultrajado,  receber uma coroa de espinhos, uma vara, um manto de púrpura e sua realeza ser objeto de escárnio. Subir ao Calvário carregando a Cruz na qual morrerá crucificado.

 



Outras notícias
2010 fundacaonazare.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade