DATA DE PUBLICAÇÃO: 25/10/2019
- Diminuir + Aumentar

Crianças homenageiam a Rainha da Amazônia em romaria

Foto: Luiz Estumano.
 
Alegria e animação marcaram a 29ª Romaria das Crianças no último domingo, 20, nas principais ruas do centro da capital. A procissão reuniu famílias em homenagem à Rainha da Amazônia que se iniciou com Santa Missa, às 7h, na Praça Santuário, presidida por Dom Fernando Panico, Bispo Emérito do Crato (CE).

Bem cedo, pais, filhos e avós se concentravam na Praça Santuário aguardando a saída da romaria. O cortejo desde 2010 teve seu percurso reduzido de 3,7 Km para 2,9 Km, visando proporcionar uma caminhada menos cansativa ao maior público da romaria, que é formado por crianças. Durante a Santa Missa podiam ser vistos no colo dos pais, nos ombros, nos carrinhos ou em bancos, mas sem perder a animação que lhes é habitual.

Esse detalhe foi o que chamou a atenção do presidente da celebração. Em sua homilia Dom Fernando, ao observar a assembleia, afirmou que cabem aos pais os primeiros passos na fé: “Que beleza ver que a nossa família tem crianças! Onde há crianças há alegria, tem vida. Todos nós lembramo-nos de que temos o dever de oferecer para os nossos filhos dias melhores. Por isso a urgência da formação humana e cristã das nossas famílias promovendo a dignidade e o respeito pela vida”.

Ele prosseguiu: “aprendamos a ensinar os filhos para que sejam sempre gratos a Deus pelo dom da vida. Os pais são os primeiros educadores da fé, os primeiros catequistas num lar. Não podemos então abdicar dessa missão que a Igreja confia a todos os lares cristãos.”

Ao final da celebração, a Imagem Peregrina foi colocada num andor ornamentado com flores amarelas, para o início do cortejo que percorreu o entorno do bairro de Nazaré, passando pela Avenida Nazaré, Travessa 14 de março, Avenida Governador José Malcher, Travessa Dr. Moraes, retornando para a Av. Nazaré e à Praça Santuário. O público, estimado em 250 mil pessoas, cresce a cada ano, por ser uma procissão que reúne famílias e oferece menor risco aos pequeninos, como afirma Cláudio Acatauassu, Diretor Coordenador da Festa de Nazaré:

“Nas outras procissões maiores você não enxerga tantas crianças até por conta do risco, são procissões que têm a corda, como a Trasladação e o Círio, e podem levar algum risco às crianças. Salientamos sempre que os pais tenham cuidados com seus filhos, não só com protetor de cabeça, como boné, mas que elas estejam hidratadas, que tenham tomado café, passado o protetor solar. Ou seja, são medidas preventivas e que evitam problemas.”

O coordenador explica que para garantir a segurança das crianças há também uma parceria com o Tribunal de Justiça do Estado, através da Vara de Infância e Juventude, Cruz Vermelha e o grupo Anjos da Guarda, ligado à Basílica Santuário, para o atendimento de crianças e adolescentes perdidos durante a procissão: “Na medida em que a criança se perde, o guarda mais próximo sai da sua formação e repassa ao guarda com rádio que transmite para o sistema de áudio e este para toda a procissão para os pais o localizarem. É importante que essas crianças sejam identificadas, sobretudo aquelas que não conseguem se comunicar”.

O objetivo é o de garantir uma procissão tranquila para que os pequenos possam prestar sua homenagem à Virgem de Nazaré: “Isso é o fundamental. Desde criança que nós formamos a personalidade do ser humano, então a criança que é bem orientada nesta devoção mariana certamente será um católico devoto, uma pessoa mais inserida na nossa Igreja.”

Educação na fé

Aos poucos a romaria ia ganhando as ruas, acompanhada de uma multidão. Muitos pais aproveitam a tranquilidade para agradecer graças alcançadas por intercessão da Virgem Maria. Verena Pires, 30 anos, agradecia pela saúde de Ronald Augusto, 9 anos, que quando nasceu precisou permanecer na incubadora.

Ela não escondia a emoção de pagar pela promessa levando uma vela do tamanho de Ronald: “É um sentimento imenso de gratidão por tudo que venho hoje dizer obrigada pelas bênçãos recebidas. Espero ter saúde para continuar com ele nessa caminhada, assim como cresci na fé, espero continuar educando-o”.

Havia também quem, contagiado pelos adultos, queria participar de outra forma da romaria, contribuindo com o trabalho de evangelização da Igreja. Foi o que fez o pequeno Mateus, de 9 anos, que acompanhou pelo segundo ano consecutivo os avós Miguel e Lena Sena, casal coordenador da coleta do ECC, na arrecadação de doações.

Mateus fez questão de participar com os avós durante a Romaria das Crianças e participar do grande trabalho: “Até ontem eu tava na casa do meu outro avô, aí minha avó chegou dizendo que eu não ia porque eu cheguei muito tarde. Mas eu insisti muito, acho muito legal esse trabalho então não tinha por que não vir”.

Nessa romaria, a Imagem Peregrina é conduzida no carro da Romaria das Crianças, acompanhada de mais quatro carros dos Anjos – ícones da Grande Procissão do Círio de Nazaré. Além disso, outros dois carros com crianças do Hospital Ophir Loyola, de Belém, e da Guarda Mirim de Nazaré. Por volta de 10h20 a romaria chegou à Praça Santuário e encerrou-se com a bênção final.
 



Outras notícias
2010 fundacaonazare.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade