DATA DE PUBLICAÇÃO: 19/12/2019
- Diminuir + Aumentar

Ordenação presbiteral de Alan Henrique Campos Silva

Foto: Divulgação.
 
Dia 12 de dezembro, Festa de Nossa Senhora de Guadalupe, Alan Henrique Campos Silva, da Comunidade Maíra, foi ordenado sacerdote pela imposição das mãos e oração consecratória de Dom Alberto Taveira Corrêa, Arcebispo Metropolitano de Belém, em rito realizado na Basílica Santuário de Nazaré. O neo-sacerdote desenvolverá seu ministério sacerdotal na Paróquia de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, em Mosqueiro.
 
A Santa Missa de ordenação contou com a presença de parte da família, amigos seminaristas, integrantes da Comunidade Maíra, formadores do Seminário Maior São Pio X e parte do clero arquidiocesano. Em sua homilia, Dom Alberto recordou a sequência de ordenações iniciadas em 15 de novembro passado.
 
“Deus vai fazendo a sua obra no meio de nós. Tenho uma convicção muito clara de que as vocações existem, o que falta é trato, o que falta é carinho, é atenção, capacidade de orientar os jovens para dar a sua resposta vocacional. Eu quero dar graças a Deus por essa fecundidade”. Depois, comentando o episódio da aparição de Nossa Senhora a Juan Diego, no monte Tepeyac, o Arcebispo falou do gesto de pequenez do índio frente à missão dada pela Virgem Maria:
 
“Há certos diálogos entre ele e Nossa Senhora e em um ele disse: ‘a senhora arranja outro para falar com o bispo. Ninguém vai me escutar. Eu sou apenas um joão-ninguém’. Se você alguma vez se sentiu um joão-ninguém esse joão-ninguém se colocou à disposição de Deus, esvaziou-se de si mesmo, como Nossa Senhora, que usou uma expressão semelhante ‘eu sou a escrava do Senhor’. E Ela que disse diante de Isabel ‘ele olhou para a pequenez da sua serva’. Ele olhou para a sua pequenez, Alan, para fazer maravilhas”.
 
Por fim, concluiu: “você pediu para ser ordenado aqui na Basílica Santuário, justamente por essa raiz mariana da sua vocação e da sua comunidade. Não perca o jeito de ser de Maria para ser um bom padre. Sendo escravo, sendo servo, sendo aquele que diz que Deus olhou para a pequenez desse João Ninguém. Tenha a certeza que ele vai fazer maravilhas no seu ministério”.
 
Alan Henrique Campos Silva, 32 anos, é natural de Belém e consagrado da Comunidade Maíra, uma das novas comunidades atuantes na Arquidiocese de Belém. Tem formação como bacharel em Design Gráfico pela Faculdade de Estudos Avançados do Pará e, em Filosofia e Teologia, pela Faculdade Católica de Belém. Realizou por dois anos, enquanto seminarista, estágio pastoral na Paróquia de São Lucas Evangelista e dois anos na Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, em Mosqueiro. Também na Paróquia de Nossa Senhora da Conceição realizou estágio pastoral, mas na qualidade de diácono.
 
Como lema sacerdotal escolheu a passagem “Vivo mas não sou eu, é Cristo que vive em mim”, de Gálatas 2, 20. E no dia 19 de janeiro de 2020 será apresentado como Vigário Paroquial na Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, de Mosqueiro. Para esta missão o neosacerdote diz estar motivado:
 
“Já estou em Mosqueiro faz uns três anos, dois como seminarista indo aos finais de semana e esse ano do diaconato. A missão já começou, mas agora como padre é um serviço a mais. Oferecer ao povo de Mosqueiro o essencial para as nossas vidas que é a Eucaristia, início e fim de toda caminhada de um missionário. Então poder ter esta graça de oferecer o alimento não só do corpo, mas da alma para aquele povo que é tão bom, uma terra tão fértil de vocações para mim é motivo de muita graça”.
 
 



Outras notícias
2010 fundacaonazare.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade