DATA DE PUBLICAÇÃO: 16/04/2020
- Diminuir + Aumentar

Vigília Pascal no Sábado Santo, 11

Foto: Luiz Estumano.
 

No Sábado Santo, 11, na programação da Semana Santa 2020 da Arquidiocese de Belém, celebrou-se de forma solene e reservada a Vigília Pascal, conhecida como a “Mãe de todas as Vigílias”, na Catedral Metropolitana com a presença do Arcebispo Metropolitano, Dom Alberto Taveira Corrêa, seu Auxiliar, Dom Antônio de Assis Ribeiro, e alguns sacerdotes e diáconos. A celebração foi transmitida pela Fundação Nazaré de Comunicação que desde o início da Semana Santa vem transmitindo os momentos solenes.

Como se sabe, este ano todas as celebrações e momentos da Semana Santa tiveram alterações por conta da pandemia do novo coronavírus (COVID-19). Assim também aconteceu com a Vigília Pascal. A recomendação foi a que, das suas residências, os fiéis vivessem a Vigília em família, acompanhando o acender-se do Círio, o Precônio Pascal (texto da proclamação da Páscoa), Liturgia da Palavra, Liturgia Batismal (renovação das promessas batismais) e Liturgia Eucarística.

Em sua saudação inicial, Dom Alberto afirmou que apesar da distância, nada impediu irmãos e irmãos de estarem reunidos em nome de Jesus: “irmãos e irmãs, nessa noite santa em que Nosso Senhor Jesus Cristo passou da Morte à Vida, a Igreja convida seus filhos e filhas dispersos por toda terra a se reunirem em vigília e oração. Se comemorarmos a Paixão do Senhor ouvindo Sua Palavra e celebrando seus mistérios podemos ter a firme esperança de participar do Seu triunfo sobre a Morte e de Sua Vida em Deus.”

No decorrer da celebração houve a proclamação da palavra do Antigo e Novo Testamento que conta brevemente a história de Cristo, a salvação e os sacramentos. As quatro principais partes da Vigília (Liturgia da Luz, Liturgia da Palavra, Liturgia Batismal e Liturgia Eucarística) recordam a caminhada do povo de Israel e apresenta Jesus como Salvador, o Messias que nos leva à salvação.

Na noite da Vigília, todos os anos são proclamados sete leituras e entoados os sete salmos. Mas este ano, em ocasião da saúde mundial, na Liturgia da Palavra, foi reduzido o número de leituras para o que é previsto como essencial. Na celebração do sábado, ocorre todos os anos, o Batismo de crianças, jovens e adultos, entretanto, foi feita somente a renovação batismal.

Em sua homilia, Dom Alberto destacou que a alegria do anúncio da ressurreição de Cristo sobrepunha-se sobre qualquer situação: “Não existe qualquer sepulcro, ou morte, ou pandemia, ou crise, nem mesmo a força do pecado, nada será capaz de impedir o eco do anúncio de vida deste cristo ressuscitado. O Senhor nos precede e nos guia, nos acompanha e nos segue, vai a nossa frente e ao nosso lado, vai atrás de nós para nos guardar. Devemos só segui-lo com todas as nossas forças com disposição para viver a vida nova.”

Após a homilia, Dom Alberto conduziu o momento da renovação das promessas batismais e a liturgia prosseguiu com a comunhão.

CÍRIO PASCAL

O Círio Pascal é a grande vela acesa que simboliza Cristo Ressuscitado e recorda Jesus, a luz que ilumina a noite da humanidade. A palavra “círio” vem do latim “cereus”, de cera. O Círio Pascal traz inscrita a cruz acompanhada do ano e letras do alfabeto grego Alfa e Ômega, indicando a Páscoa de Jesus. Nossa Luz, Princípio e Fim de tudo e de todos, Senhor do tempo e da história! O Círio Pascal tem em sua cera incrustado cinco cravos de incenso simbolizando as cinco chagas santas e gloriosas do Senhor da Cruz.

As cinco chagas de Cristo: a coroa de espinhos; o prego da mão direita; o prego da mão esquerda; o prego dos pés e o corte feito no lado direito do seu peito. Como recomenda o Missal Romano, ao ser feita a incisão da cruz e dos outros sinais, o sacerdote aplica no círio cinco grãos de incenso, formando uma cruz e dizendo “1.Por sua santas chagas, 2.suas chagas gloriosas, 3.o Cristo Senhor, 4.nos proteja, 5.e nos guarde. Amém”.

 




Outras notícias
2010 fundacaonazare.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade