DATA DE PUBLICAÇÃO: 01/10/2020
- Diminuir + Aumentar

Família Franciscana em festa no Pará

 

Foto: Divulgação
 
 
A Família Franciscana, presente nos estados do Pará e Amapá há mais 200 anos se une à organização do Capítulo Celebrativo dos 800 anos da Ordem Terceira de São Francisco e 50 anos do secretariado nacional da Juventude Franciscana (Jufra) no Brasil que se realizará em 2021 com o tema: “De Assis a Canindé: memória, compromisso e esperança” e o lema: “Do Evangelho à vida e da vida ao Evangelho”.
 
No sábado, 04, quatro comemorações marcam a data na Igreja dos Capuchinhos, em Belém: Santa Missa às 7h30 e 18h pelo Dia de São Francisco de Assis, padroeiro dos animais, Profissão Definitiva de quatro membros à Ordem Franciscana Secular (OFS), os 113 anos da OFS em Belém e o lançamento da celebração dos 800 anos da Terceira Ordem Franciscana no Brasil, a ser comemorada em 2021.
 
A Família Franciscana reúne todos os que se sentem chamados no seguimento do Cristo, à maneira de São Francisco de Assis que, por modos e formas diversas, mas em recíproca comunhão vital, querem tornar presente o carisma do comum Pai Seráfico na vida e na missão da Igreja: Primeira Ordem: Ordem Frades Menores (Pará); Ordem dos Frades Menores Capuchinhos (Pará e Amapá). Segunda Ordem: Irs. Clarissas Capuchinhas (Amapá); Ordem Franciscana Secular: 24 Fraternidades organizadas no Pará e Amapá. Terceira Ordem Regular presente com 35 Fraternidades no Pará.
 
A presença franciscana na arquidiocese é ativa e colabora na evangelização com sua vida orante, pobre, fraterna e apostólica atuando em diversas paróquias e serviços. A festividade de São Francisco de Assis ocorre de mãos dadas com os preparativos da Festa de Nossa Senhora de Nazaré. 
 
A primeira Fraternidade da Ordem Franciscana Secular na cidade de Belém foi erigida por Frei Mansueto de Peveranza, OFMCap no ano de 1907, na atual paróquia São Francisco de Assis – Capuchinhos. E como uma das fundadoras desta Fraternidade, irmã Alice Teodora da Silva Feitosa. 
 
Posteriormente, outras Fraternidades da OFS foram sendo erigidas por todo o Pará e Amapá. Em Belém, conta ainda com a Fraternidade Santo Antônio de Lisboa (erigida dia 04 de outubro de 1992, Paróquia Santo Antônio de Lisboa) e Santa Maria dos Anjos (Erigida dia 04 de outubro de 2004, em Icoaraci - Paróquia Nossa Senhora de Fátima).
 
OFS e a Profissão definitiva
 
Francisco Araújo, Mestre de Formação e membro da OFS, afirma “ter Fraternidades da Ordem Franciscana Secular em Belém é sinal de um Laicato maduro, um sinal de que estamos seguindo os passos do Concílio Vaticano II. Este é nosso compromisso, assumir nosso batismo de vida evangélica no século,  seguindo os passos de São Francisco de Assis”.
 
A OFS é a única ordem religiosa de leigos na Igreja, somando nos regionais Norte 1 (Norte do Amazonas e Roraima), 2 (Pará e Amapá) e 3 (Tocantins, Sudeste do Pará e Nordeste do Mato Grosso) 24 Fraternidades e cerca de 270 irmãos professos (ativos). Em Belém, tem duas fraternidades, em Icoaraci e no bairro do Guamá. Na Fraternidade São Francisco de Assis, Guamá, tem 17 irmãos Professos e, a partir do dia 4 próximo, receberá mais 5, sendo quatro leigas e um sacerdote que irão emitir a Profissão Definitiva Regra da OFS.
 
As leigas são: Adriana Reis Vasconcelos Alves (46 anos, casada, bibliotecônoma, guarda franciscana); Fernanda Prado Santiago (32 anos, solteira, professora, ministério de música); Michele Cardim de Sousa (38 anos, solteira, assistente social, catequista); Suzana Damasceno Monteiro Brito (49 anos, viúva, enfermeira, pastoral litúrgica). O sacerdote  é o Cônego Vladian Silva Alves (44 anos, pároco, professor-pesquisador e Membro do Conselho Pastoral Arquidiocesano). 
 
Os membros precisam atender os seguintes requisitos: ter vocação franciscana, convivência fraterna e  cumprir com três anos de Formação Inicial. A OFS é aberta a leigos, diáconos ou padres. É a primeira vez, no norte, que um sacerdote professa a regra da OFS. Neste caso, em Belém, Cônego Vladian Alves. 
 
Segundo o sacerdote, desde muito jovem já tinha proximidade com o carisma franciscano, pois tinha contato, em sua paróquia de origem, com frades capuchinhos e as irmãs capuchinhas do Brasil.
 
“Com essa proximidade eu tive possibilidade de conhecer o carisma franciscano, os escritos de São Francisco, a proposta dele para viver o Evangelho, seus passos e tudo”. “Por ter esse vínculo e essa vontade de seguir no carisma então fui iniciado e hoje a fraternidade está me acolhendo. E no futuro, se outros sacerdotes assim quiserem, formar nós mesmos uma fraternidade para seguir o Evangelho de Nosso Senhor inspirado pelo testemunho de São Francisco de Assis”.
 
 
 
 

Outras notícias
2010 fundacaonazare.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade