DATA DE PUBLICAÇÃO: 29/10/2020
- Diminuir + Aumentar

Arquidiocese de Belém faz balanço do Círio de Nossa Senhora de Nazaré

 

Foto: Fabrício  Coleny
 
Foram 15 dias de homenagens a Nossa Senhora de Nazaré, padroeira dos paraenses, e a Diretoria da Festa de Nazaré (DFN), juntamente com a Arquidiocese de Belém, realizaram na noite dia 25 o encerramento da programação oficial do Círio 2020. Limitados por s protocolos de segurança contra a Covid-19, os atos de encerramento tiveram a participação de poucas pessoas, a exemplo da Missa na na Basílica Santuário, sob a presidência de Dom Alberto Taveira Corrêa, Arcebispo Metropolitano de Belém.
 
A celebração eucarística foi acompanhada do clero arquidiocesano, Diretoria da Festa e poucos devotos que também testemunharam ao fim da Santa Missa o anúncio oficial do tema do Círio de Nossa senhora de Nazaré para o ano de 2021, proclamado por Dom Alberto: “O Evangelho da Família na Casa de Maria”. 
 
O encerramento do Círio de Nazaré, a despeito de todas as providências tomadas pela Arquidiocese de Belém para não promover a aglomeraçãode pessoas em torno da Basílica Santuário, chamou a atenção do público que permaneceu circulando pelo entorno da Praça Santuário, e daçi, participou do jeito e condições de cada um, a atividade final da festividade de Nossa Senhora e Nazaré.
 
O público presente na praça pode ver a Basílica de outra forma, ornamentada por grafismo virtual. Iluminada, a fachada da igreja foi alterada pela projeção de luzes que a enfeitaram com imagens relativas ao círio e a história que remete à maior festa mariana dos paraenses a sua padroeira. Depois, segiu-se um show pirotécnico que, por cerca de cinco minutos, anunciou nos céus o fim da festa de fé.
 
A edição de número 228ª do Círio de Nazaré é histórica, a exemplo de cada festa realizada anualmente pela Arquidiocese de Belém para homenagear a Rainha da Amazônia. Foi corrente o termo "diferente" entre os fiéis sobre a maneira como ocorreu o círio deste ano.
 
 Dom Alberto, o Arcebispo de Belém, preferiu conceituar o círio do ano de 2020 como original. "Porque não sabemos como tirar o círio do coração das pessoas, especialmente, os que amam devotamente Nossa Senhora", declarou ele na Missa de abertura do Círio, na manhã do dia 11 de outubro, ao presidir aquela celebração eucarística na Catedral Metropolitana de Belém.
 
 Foi original porque a Arquidiocese de Belém, assim como a Diretoria da Festa tiveram de tomar decisões que determinariam como seria realizado o Círio de Nossa Senhora de Nazaré, que leva miçlhões de fiéis às ruas da capital paraense no segundo domingo de outubro, o que não poderia ocorrer este ano em que o mundo foi surpreendido  pela pandemia do novo coronavírus.
 
A avaliação de todo o trabalho realizado para fazer o círio foi a pauta da entrevista coletiva da Arquidiocese de Belém na segunda-feira, 26, com o Arcebispo de Belém, Dom Alberto Taveira, e membros da Diretoria da Festa de Nazaré, no encontrocom a Imprensa no Centro Social da Nazaré para fazer o balanço da festa mariana. A informação preponderante é que um imenso esforço coletivo foi empenhado para fazer da interatividade e conectividade os principais meios de vivenciar o círio e manter fortalecida a esperança e a fé das pessoas, os milhões de fiéis que acorrem para Belém, desta vez, não poderiam fazer suas homenagens de forma presencial.
 
Dessa forma, as 13 procissões oficiais da festividade de Nossa Senhora de Nazaré não foram realizadas para não disseminar o contágio do novo coronavírus, apesar de muitas pessoas sentirem-se motivadas a ir às ruas, do seu jeito, "fazer a Deus os seus agradecimentos, graças a intercessão de Nossa Senhora na minha vida e da minha família", declarou a devota Antonia, acompanhada do esposo Carlos Rodrigues, acompanhou a chegada da imagem em frente à Basílica no dia do círio, 11 de outubro.
 
E a propósito dos sentimentos de Antonia, a família será o foco da festa de Nossa Senhora de Nazaré no ano que vem, conforme anunciou o Arcebispo Dom Alberto. "O evangelho da família na casa de Maria" é o tema do Círio 2021, ocasião em que a igreja de Belém propõe-se a fgazer uma imersão no âmbito da Igreja Doméstica, fortalecendo ainda mais uma realidade que tem se verificado desde foi declarado pela OMS o estado de pandemia. 
 
Dissertqndo sobre o tema escolhido, Dom Alberto afirmou que "queremos, a partir desse tema refletir mais profundamente no valor que deve ser atribuído à família. Nazaré foi a família de Jesus, Maria e José, então, nossos olhares se voltaram para a importância da família. Família que se constrói aqui, em torno da Basílica de Nazaré, a família do povo de Deus, a Sagrada Família, e a família de cada um de nós, com nossos limites, qualidades e lutas, que não são poucas diante da realidade difícil que temos vivenciado”.
 
 
Foto: Sandro Barbosa
 
Secretário da Diretoria da Festa, Jorge Xerfan confirmou as informações de Dom Alberto e observou que a avaliação é positiva.  “A pandemia nos surpreendeu, e pensamos: nós sabemos fazer círio, mas a gente não sabe não fazer círio. Graças a Deus o Espírito Santo, por intercessão de Nossa Senhora de Nazaré, iluminou nosso coordenador, e fizemos o que nos foi possível", concluiu.
 

Outras notícias
2010 fundacaonazare.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade