DATA DE PUBLICAÇÃO: 17/07/2020
- Diminuir + Aumentar

Paróquia Santa Teresinha da Amazônia é a 95ª paróquia da Arquidiocese de Belém

 

Fotos: Luiz Estumano.
 
Na noite da última quinta-feira, 16 de julho, foi instalada a 95ª paróquia da Arquidiocese de Belém, Paróquia Santa Teresinha da Amazônia, em celebração eucarística presidida por Dom Alberto Taveira Corrêa, Arcebispo Metropolitano de Belém e concelebrada por Dom Antônio de Assis Ribeiro, Bispo Auxiliar de Belém e padres da arquidiocese.
 
A nova paróquia é dedicada a Santa Teresinha da Amazônia e está localizada no conjunto Império Amazônico, no bairro do Souza, em Belém. O título da nova igreja é uma resposta ao Sínodo da Amazônia, realizada em outubro de 2019 e a exortação apostólica do Papa Francisco, como explica Dom Alberto: “O nome da paróquia Santa Teresinha da Amazônia pelo fato de ser no Império amazônico, mas também para ser uma homenagem aquilo que o Papa fez na exortação apostólica chamando de ‘querida amazônia” então nós estamos muito felizes.
 
A Paróquia Santa Teresinha da Amazônia fará parte da Região Episcopal Santa Cruz, sendo desmembrada da Paróquia Jesus Ressuscitado e conta com as três comunidades: Rosa Mística, Sagrada Família, São Arcanjo Gabriel.
 
Para o Arcebispo de Belém, a criação da 95ª paróquia da Arquidiocese é a resposta a missão da evangelização. “Graças a Deus a Igreja não parou. Nós trabalhamos o tempo todo, trabalhamos acompanhando as pessoas, celebrando as missas pelos meios de comunicação. Agora quando foi possível começamos a voltar as celebrações presenciais. Estamos atentos, os bispos, o conselho episcopal e o conselho presbiteral a criação de novas áreas missionárias, novas paróquias. E agora chegamos a responder esse desejo antigo e bonito da população daqui do império amazônico”, ressalta Dom Alberto.
 
 
95ª paróquia da Arquidiocese de Belém dedicada a Santa Teresinha da Amazônia.
 
Na ocasião também ocorreu a posse do padre Gabriel Aparecido Paes como novo e primeiro pároco de Santa Teresinha da Amazônia. Ele é natural de São Paulo, 35 anos. Tem formação pelo Seminário São Pio X em filosofia e teologia. Foi ordenado no dia 06 do junho de 2018 e desde então exercia a função de Vigário Paroquial na Paróquia Jesus Ressuscitado
 
 Para o sacerdote o momento é de alegria e resposta de uma longa e bonita caminhada.  “O meu coração está com muita alegria. Eu posso dizer três noites sem dormir, expectativa para chegar esse momento de hoje. Mas é algo que nós plantamos há muito tempo, a comunidade têm mais de 30 anos que vem nesse desejo, vem amadurecendo para isso. Eu estou há mais de um ano aqui e agora nós nos sentimos maduros para isso”, destaca o novo pároco.
 
O novo desafio para o padre Gabriel é visto como um sinal de amor. “Eu já tenho um bom tempo que eu caminho com eles então já temos cpp (conselho paroquial de pastoral), pastorais, movimentos. Já teve toda uma preparação para esse momento. Nós tínhamos planejado muito mais coisas, porém a pandemia limitou muito a nossa realidade hoje, mas nós não podemos ter medo, não podemos parar. E mesmo assim em meio a pandemia hoje nós estamos aqui criando a paróquia. Dom Alberto aprovou e então é um sinal que nós não devemos ter medo e que o amor não pode parar. A comunidade está muito feliz, muito animada então todos estão abraçando esse momento”, detalha.
 
Padre Gabriel Paes é o novo e primeiro pároco da Paróquia Santa Teresinha da Amazônia.
 
Durante sua homilia, Dom Alberto fez uma reflexão sobre a data da celebração, dia da festa litúrgica de Nossa Senhora do Carmo e como Maria é o grande modelo para todos. O Arcebispo de Belém também fez um percurso histórico sobre a origem da palavra “paróquia” e fez uma breve reflexão sobre o significado: “A paróquia é uma espécie de acampamento em que as pessoas se sentem bem, as pessoas podem encontrar a água da graça, onde as pessoas podem encontrar a força da palavra, onde as pessoas podem encontrar a experiência da caridade, a experiência da comunhão, isto é a paróquia. Hoje Deus está realizando esse sonho”. E ainda fez memória de São Pedro ainda se referindo sobre a importância da Igreja. “Nós somos essa igreja viva, pedras vivas, o templo santo criado pelo próprio Deus” é a  paróquia.
 
“E também para nós darmos uma resposta ao Sínodo da amazônia e a exortação apostólica do Papa ‘Querida Amazônia’”. Então vocês são testemunhas de que a nossa igreja de Belém quer participar deste sonho de fazer da Amazônia uma terra evangelizada cada vez mais marcada com a força da palavra de Deus e com o testemunho da Igreja e das comunidades cristãs. É com este espírito que estamos aqui reunidos, somos família de Deus, somos parentes de Deus. Nossa Senhora é o grande modelo para nós”. Assim Dom Alberto concluiu refletindo breve sobre a relação do título da nova paróquia com amissão evangelizadora que a Arquidiocese vem realizando ao longo de sua existência e a resposta ao Sínodo da Amazônia, que ocorreu em outubro de 2019.
 
O padre Gabriel a devoção à Santa Teresinha da Amazônia é a certeza de muitas missões. “Santa Teresinha do Menino Jesus, porém nós estamos aqui no Império Amazônico, estamos na Amazônia então os bispos, os padres, conselheiros acharam por bem colocar esse nome para distinguir de outras paróquias. Nós temos várias paróquias de Santa Teresinha e eu achei muito interessante. Acatei e gostei muito, porque Santa Teresinha é a padroeira das missões, então, com certeza, ela no céu agora está feliz com esse nome, que está cada vez mais levando essa devoção”, finaliza o padre Gabriel.
 
 

Outras notícias
2010 fundacaonazare.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade